Como ser mais feliz em sete dias

Direito de imagem Thinkstock
Image caption Cientistas comprovaram que técnicas simples podem ajudar a aumentar a satisfação

Na correria do dia a dia, é fácil se perder no tédio e ter pena de si mesmo. Mas algumas pessoas conseguem resistir bem aos golpes da vida, exalando alegria mesmo nos dias mais cinzentos.

É verdade que alguns de nós têm a sorte de nascer com um temperamento mais otimista e positivo. Mas algumas técnicas testadas por cientistas podem ajudar qualquer pessoa a melhorar o astral. E o melhor: elas exigem apenas alguns minutos de prática.

Especialistas da Universidade da Califórnia em Berkeley analisaram centenas de estudos científicos para filtrar as técnicas mais convincentes, que são apresentadas em um site chamado Greater Good in Action ("O bem maior em ação", em tradução literal).

Selecionamos sete delas e montamos um plano de uma semana que pode ajudar a combater o estresse e melhorar o humor.

Leia mais: Para salvar o planeta, você passaria a se alimentar de insetos?

Acompanhe o conteúdo da BBC Brasil no Facebook, no Twitter e no Instagram

Segunda-feira: Comece um diário

Quem se dedica a escrever diários já sabe faz tempo que traduzir os sentimentos em palavras ajuda a dominar as emoções e a analisá-las sob uma nova perspectiva. Mas apenas recentemente cientistas perceberam como essa simples prática pode ser poderosa: dedicar 15 minutos por dia a um diário pode reduzir os sintomas de depressão e ansiedade, fortalecer o sistema imunológico e melhorar o desempenho no trabalho.

Os benefícios podem durar meses, e a técnica é bem mais eficiente do que deixar suas frustrações aumentarem.

Fonte: Journal of Consulting and Clinical Psychology

Terça-feira: Faça gestos de gentileza

Direito de imagem Thinkstock
Image caption Sentir admiração por algo maior do que nós traz uma nova perspectiva para as preocupações diárias

Pode soar um pouco cafona, mas é algo que funciona. Pessoas que fizeram um esforço consciente para executar cinco pequenos gestos de gentileza, apenas um dia por semana, relataram estar mais satisfeitas com suas vidas ao fim de seis semanas.

A experiência é uma entre várias outras que demonstram que as pessoas mais generosas são mais felizes e mais saudáveis.

Fonte: Review of General Psychology

Leia mais: A inesperada relação entre a poluição do ar e a obesidade

Quarta-feira: Aprecie as pessoas que você ama

Imagine a vida sem um amigo próximo ou sem um parceiro. Doloroso? Bem, um estudo de 2008 descobriu que as pessoas que praticam esse tipo de “subtração mental” acabam se sentindo melhor depois. Talvez isso aconteça porque elas entenderam que suas pessoas mais queridas nem sempre estarão aí para o que der e vier.

Muitas outras pesquisas indicaram que sentir gratidão e verbalizar isso melhora a satisfação com a vida.

Fonte: Journal of Personality and Social Psychology

Quinta-feira: Lembre-se de um momento marcante

Direito de imagem Thinkstock
Image caption Concentrar-se nos sabores de sua comida favorita - ou abdicar dela por uns dias - aumenta o prazer

Psicólogos estão começando a entender a importância de se ter um “propósito” na vida. As pessoas que acreditam que sua vida tem sentido tendem a ser mais resilientes mentalmente.

Pesquisas sugerem que o simples ato de olhar fotografias antigas é uma boa maneira de ter em mente as coisas que fazem a vida valer a pena – família, amigos, trabalhos voluntários ou uma importante conquista profissional.

Remexer nas memórias ajuda a nos conectarmos com o passado e a situar acontecimentos recentes em uma perspectiva mais ampla. Isso, por sua vez, alivia o sofrimento causado por decepções e ansiedades mais recentes.

Fonte:Journal of Contextual Behavioral Science

Leia mais: Holandês passa um mês sem álcool e açúcar e mostra o que acontece com corpo

Sexta-feira: Permita-se reverenciar

Quando o dia a dia se torna rotina, tendemos a nos apegar às preocupações cotidianas. Por isso, cada vez mais cientistas estão interessados em estudar os benefícios positivos do sentimento de reverência.

Seja a visão de um céu estrelado ou uma ida a um culto religioso, a sensação de se deslumbrar com algo maior do que nós mesmos amplia a mente. Pesquisadores descobriram que isso torna as pessoas mais felizes, mais altruístas, menos impacientes e menos ansiosas.

Até mesmo passar alguns minutos escrevendo sobre uma experiência inspiradora pode ajudar.

Fonte: Psychological Science

Sábado: Abandone um ‘vício’ durante uma semana

Coisas que já nos deram prazer podem rapidamente perder sua intensidade com o passar do tempo, levando ao que se convencionou chamar de “esteira hedonista” ou a eterna busca pela satisfação.

É possível redescobrir aquele deleite inicial simplesmente abandonando alguma dessas fontes de prazer por uma semana – uma guloseima favorita, a televisão ou os drinques de fim de tarde.

Depois de sete dias, você vai ver que conseguiu dar um “reset” na esteira, sentindo uma nova onda prazer. Essa prática também nos ajuda a procurar outras fontes de entretenimento e deleite.

Mas se a ideia de se abster de algo durante uma semana parece difícil demais, tente envolver toda a sua mente e sua atenção à sua atividade favorita. Por exemplo, ao tomar um cafezinho, concentre-se na complexa sinfonia de sabores que banha suas papilas gustativas.

Esse tipo de conscientização comprovadamente colabora com a apreciação dos pequenos prazeres da vida, o que melhora o estresse e a ansiedade.

Fonte: Social Psychological and Personality Science

Domingo: Livre-se da culpa

Há um provérbio italiano que diz: “A língua bate onde dói o dente”. Trata-se de uma descrição perfeita da tendência da mente de remoer as dores do passado.

Infelizmente, psicólogos já demonstraram que esses sentimentos, principalmente o da culpa, geralmente acabam provocando efeitos negativos. Além de causar ansiedade e infelicidade, a sensação de falta de esperança nos torna mais propensos a cair em tentações no futuro.

Por isso, passar alguns minutos tentando deliberadamente cultivar bons sentimentos em relação a si mesmo é algo que gera mais ânimo e mais força de vontade.

Fonte: Personality and Social Psychology Bulletin

Leia também: Por que tomamos leite?

Leia a versão original desta reportagem em inglês no site BBC Future.