A surpreendente ‘leveza’ do maior anel de Saturno e os mistérios que ele guarda

Direito de imagem Nasa JPL Caltech EEI
Image caption O anel B de Saturno aparece em negro em imagens feitas por sondas especiais

Os planetas Júpiter, Netuno e Urano são cercados por anéis tênues. Mas Saturno chama a atenção com seus vários anéis feitos de gelo e partículas de poeira, com um diâmetro total de 270 mil quilômetros.

Esses anéis são bem estreitos e, por isso, extremamente difíceis de serem avistados a partir da Terra.

O maior e mais brilhante anel de Saturno, chamado de “anel B”, é também o mais opaco. Em fotos feitas por sondas espaciais, ele geralmente aparece em negro, como na foto acima.

Em uma tentativa de determinar o peso do anel B pela primeira vez, cientistas da Universidade de Idaho, nos Estados Unidos, descobriram que partes dele não apresentam a quantidade de massa que se esperava. A equipe revelou ainda que as áreas mais opacas do anel não eram mais pesadas.

A descoberta, revelada na revista científica Icarus, é surpreendente porque o anel B não é uniforme, possuindo algumas partes mais translúcidas do que outras.

A água contaminada, por exemplo, é mais pesada do que a água limpa porque contém partículas de lama que são mais pesadas do que as moléculas de água. Mas não é assim em Saturno.

O anel B também tem menos massa do que se acreditava. Apesar de algumas áreas dele serem dez vezes mais densas do que o anel A de Saturno, ele é apenas duas ou três vezes mais pesado do que o vizinho.

'Uma banana por centímetro quadrado'

Direito de imagem Nasa JPL Caltech EEI
Image caption Quando refletido pela luz do Sol, o anel B é o mais resplandescente de Saturno

Para entender a massa do anel B, os cientistas analisaram um material que o compõe, chamado de “ondas de densidade em espiral”. Trata-se de minúsculos segmentos do anel criados por causa da gravidade atuando sobre eles.

Cada uma dessas ondas tem uma estrutura determinada por sua massa. Portanto, conhecer a estrutura permitiu à equipe determinar seu “peso”.

Os cientistas descobriram que a “densidade de massa superficial” do anel B é de 40 a 140 gramas por centímetro quadrado. A grosso modo, isso é o equivalente ao peso de uma banana por centímetro quadrado.

“No momento, ainda estamos longe de explicar como regiões com a mesma quantidade de material pode ter opacidades tão distintas”, afirma Matthew Hedman, líder do estudo. “Pode ser algo relacionado ao tamanho ou à densidade das partículas individuais, ou pode ter a ver com a estrutura dos anéis.”

A melhor compreensão dos anéis de Saturno poderia ajudar os astrônomos a determinar sua idade. Isso porque o menor anel atrairia poeira cósmica mais rapidamente por ter menos espaço para preencher.

“Ao ‘pesar’ o núcleo do anel B pela primeira vez, esse estudo dá um passo significativo em nossa busca por conhecer a idade e a origem dos anéis de Saturno”, diz Linda Spilker, do Laboratório de Propulsão a Jato da Nasa, em Pasadena, na Califórnia. “Os anéis são tão magníficos e inspiradores que é impossível resistirmos ao mistério de como eles surgiram.”