A reprodução deste formato de vídeo não é compatível com seu dispositivo

Rolling Stones fazem show histórico em Cuba

Os Rolling Stones fizeram um show histórico em Havana, capital de Cuba, país em que o rock estrangeiro foi banido por décadas.

Muitos dos presentes ao show gratuito eram fãs de uma vida inteira que mantinham discrição sobre a paixão pelos Stones e outras bandas.

Mick Jagger saudou o público em espanhol, antes de abrir a performance com o hit Jumpin' Jack Flash, de 1968. "Olá, Havana. Boa noite, meu povo de Cuba."

A apresentação, na noite desta sexta-feira, ocorreu dias após a visita histórica a Cuba do presidente dos EUA, Barack Obama.

Dezenas de milhares de cubanos e turistas fizeram fila por horas para entrar na Cidade dos Esportes, espaço aberto com capacidade para 450 mil pessoas.

A banda britânica tocou 18 músicas em uma apresentação de duas horas, que incluiu canções como Sympathy for the Devil, Angie e Satisfaction.

O show está sendo considerado outro sinal de mudanças reais na ilha. Até cerca de 15 anos atrás, o governo comunista de Cuba bania a maior parte da música rock e pop ocidental, considerada decadente e subversiva.

Mas o país passa por mudanças significativas, sobretudo nos últimos 18 meses, com a aceleração do processo de reaproximação com os EUA.

Fãs viajaram de muitas partes de Cuba e de outros países para presenciar o que alguns descreveram como um momento histórico.

"Era proibido. Não podíamos ter Beatles e alguns cantores da América Latina. Agora podemos ouvir o que quisermos", disse um fã à BBC.

"Posso morrer depois de hoje", disse Joaquin Ortíz, um vigia de 62 anos, à agência de notícias Associated Press. "Isso é como meu último desejo, ver os Rolling Stones."