BBCBrasil.com
70 anos 1938-2008
Español
Português para a África
Árabe
Chinês
Russo
Inglês
Outras línguas
 
Atualizado às: 05 de novembro, 2004 - 05h17 GMT (02h17 Brasília)
 
Envie por e-mail Versão para impressão
ONU faz apelo emergencial para compra de alimentos na África
 
Fome na África
Espera-se atender 5,5 milhões de pessoas em três anos
O Programa Mundial de Alimentação da ONU (WFP, na sigla em inglês) disse que precisa urgentemente de recursos financeiros para atender as necessidades do sul da África nos próximos meses.

Mike Sackett, diretor da agência para a região, disse que são precisos US$ 68 milhões apenas para financiar projetos nos primeiros três meses do ano que vem em Lesoto, Malawi, Moçambique, Suazilândia e Zâmbia.

Segundo a agência de notícias Reuters, especialistas dizem que a falta de comida está se tornando endêmica na região ao mesmo tempo que a Aids está matando fazendeiros antes que eles possam ensinar os mais jovens sobre o trabalho agrícola.

Esse é o terceiro apelo emergencial da agência da ONU – os primeiros foram feitos em 2002 e 2003.

O objetivo é levantar US$ 404 milhões para financiar a alimentação nos próximos três anos, mas, até agora, foram arrecadados apenas US$ 12 milhões.

Espera-se atender 5,5 milhões de pessoas durante o período.

Apesar de não fazer parte desse apelo, o Zimbábue também é causa de preocupação devido o aumento de preços dos alimentos, disse Sackett.

Ele afirmou estar pronto para fornecer toneladas de comida caso o presidente do país, Robert Mugabe, peça à agência.

 
 
LINKS EXTERNOS
 
A BBC não se responsabiliza pelo conteúdo dos links externos indicados.
 
ÚLTIMAS NOTÍCIAS
 
 
Envie por e-mail Versão para impressão
 
Tempo | Sobre a BBC | Expediente | Newsletter
 
BBC Copyright Logo ^^ Início da página
 
  Primeira Página | Ciência & Saúde | Cultura & Entretenimento | Vídeo & Áudio | Fotos | Especial | Interatividade | Aprenda inglês
 
  BBC News >> | BBC Sport >> | BBC Weather >> | BBC World Service >> | BBC Languages >>
 
  Ajuda | Fale com a gente | Notícias em 32 línguas | Privacidade