BBCBrasil.com
70 anos 1938-2008
Español
Português para a África
Árabe
Chinês
Russo
Inglês
Outras línguas
 
Atualizado às: 06 de dezembro, 2004 - 11h00 GMT (09h00 Brasília)
 
Envie por e-mail Versão para impressão
Listagens
 
Ivan Lessa
Outro dia mesmo, andei comentando os dois programas de televisão, exibidos em dias consecutivos, onde eram enfileirados, com breves comentários e clips, os filmes mais assistidos pelos britânicos em todos os tempos.

Fazer listas virou um hábito nacional. Para continuar na televisão, que eu me lembre, já houve noitadas televisivas dedicadas aos 100 melhores comerciais, aos 100 melhores filmes, aos 100 melhores programas de TV, 100 melhores músicas etc coisa e tal.

Se eu fosse apelar para o lugar-comum, conforme é meu hábito, eu diria que fazer listas é o atual equivalente aos vastos bigodes, bengala e chapéu-coco dos britânicos que conhecemos daquelas caricaturas todas.

Na semana passada, foi a vez das artes plásticas. Artistas e curadores selecionados escolheram os 10 quadros mais importantes de todos os tempos. Ganhou o urinol de Marcel Duchamp, para quem estiver interessado.

Quem estiver interessado – e tudo indica, conforme disse, que por aqui tudo mundo está – é só dar uma chegada à livraria mais próxima e comprar o volume intitulado “O Livro das Listas: O Compêndio Original de Informações Curiosas, da autoria de David Wallechinsky e Amy Wallace.

Custa por volta de uns US$ 5, para citar a moeda mais popular do mundo, e talvez seja o sexto presente ideal para este Natal.

Em suas 468 páginas quem se der ao trabalho (que muitos chamam de diversão) encontrará informações, estatísticas, casos, histórias e trivialidades as mais bizarras.

Atenção: trata-se de uma reedição. Quer dizer, o hábito da listagem não é de hoje, apenas agora encontrou seu boom.

Para terem uma idéia aí vão algumas das coisas mais estranhas encontradas no metrô de Londres: uma águia empalhada, um par de seios de silicone, um divã, um frasco de bom tamanho de esperma de boi, um kit vasectômico – e por aí afora.

Encerrando no assunto e no local, eu de minha parte o que mais de estranho encontrei no metrô de Londres foi um casal de baianos.

 
 
Arquivo - Ivan
Leia as colunas anteriores escritas por Ivan Lessa.
 
 
NOTÍCIAS RELACIONADAS
 
 
ÚLTIMAS NOTÍCIAS
 
 
Envie por e-mail Versão para impressão
 
Tempo | Sobre a BBC | Expediente | Newsletter
 
BBC Copyright Logo ^^ Início da página
 
  Primeira Página | Ciência & Saúde | Cultura & Entretenimento | Vídeo & Áudio | Fotos | Especial | Interatividade | Aprenda inglês
 
  BBC News >> | BBC Sport >> | BBC Weather >> | BBC World Service >> | BBC Languages >>
 
  Ajuda | Fale com a gente | Notícias em 32 línguas | Privacidade