BBCBrasil.com
70 anos 1938-2008
Español
Português para a África
Árabe
Chinês
Russo
Inglês
Outras línguas
 
Atualizado às: 31 de outubro, 2006 - 21h40 GMT (18h40 Brasília)
 
Envie por e-mail Versão para impressão
Declarações de Lula sobre economia convencem mercado
 

 
 
Henrique Meirelles, presidente do Banco Central
Permanência de Meirelles no BC pode indicar rumo do governo
As declarações do presidente Luiz Inácio Lula da Silva sobre a manutenção da “seriedade na política fiscal” foram bem recebidas pelo mercado, de acordo com analistas de mercado ouvidos pela BBC Brasil.

Os ministros Tarso Genro, das Relações Institucionais, e Dilma Rousseff, da Casa Civil, deram declarações esta semana de que o governo poderia seguir uma política mais voltada para o crescimento econômico, gerando especulação de que a política monetária de combate à inflação seria alterada no segundo mandato.

Tarso disse no domingo que “acabou a Era Palocci”. Na segunda, após as declarações do ministro, o índice da Bovespa caiu e o dólar subiu. Dilma Rousseff disse na segunda-feira, em entrevista à uma emissora de rádio, que o “segundo mandato significa um segundo momento da política econômica do governo”.

Em entrevista na televisão na segunda-feira, Lula chamou a declaração de Tarso Genro de “produção independente” e descartou uma flexibilização da política econômica. Nesta terça, o dólar caiu e a Bovespa operou em alta.

“(A política econômica) não era uma decisão do Palocci. Era uma decisão do governo, do presidente da República”, disse Lula em entrevista à rede Bandeirantes. Segundo o presidente, a economia vai crescer “com mesma seriedade na política fiscal”.

Meirelles

“Esse grupo (de ministros desenvolvimentistas) sempre vai fazer barulho, mas ontem (segunda) esse mesmo grupo já estava adotando um tom mais ameno”, afirmou Alexandre Lintz, estrategista do banco BNP Paribas, em entrevista à BBC Brasil. “Nesse debate, o que nós ouvimos é a palavra do presidente.”

Para o cientista político Rogério Schmitt, da Tendências Consultoria, o debate entre desenvolvimentistas e monetaristas existe dentro do governo Lula, mas o presidente “provavelmente não vai mexer em time que está ganhando”.

“Lula tem sensibilidade com essa questão da inflação”, diz o economista Roberto Teixeira da Costa, da Prospectiva. “As declarações dos ministros foram totalmente extemporâneas, não sintonizadas com a realidade.”

Costa acredita que o sinal mais claro sobre o futuro da política monetária do segundo mandato será dado com a composição do novo ministério. A permanência ou não de Henrique Meirelles na presidência do Banco Central é o recado mais claro que o governo pode dar sobre o rumo da sua política econômica.

 
 
Cenário positivo
Para Wall Street, novo governo Lula será mais estável.
 
 
Marco Aurélio GarciaPolítica econômica
Brasil vai crescer 'com responsabilidade fiscal', diz Garcia.
 
 
Eleições 2006
Especial apresenta notícias, comentários e entrevistas.
 
 
NOTÍCIAS RELACIONADAS
ÚLTIMAS NOTÍCIAS
 
 
Envie por e-mail Versão para impressão
 
Tempo | Sobre a BBC | Expediente | Newsletter
 
BBC Copyright Logo ^^ Início da página
 
  Primeira Página | Ciência & Saúde | Cultura & Entretenimento | Vídeo & Áudio | Fotos | Especial | Interatividade | Aprenda inglês
 
  BBC News >> | BBC Sport >> | BBC Weather >> | BBC World Service >> | BBC Languages >>
 
  Ajuda | Fale com a gente | Notícias em 32 línguas | Privacidade