BBCBrasil.com
70 anos 1938-2008
Español
Português para a África
Árabe
Chinês
Russo
Inglês
Outras línguas
 
Atualizado às: 03 de dezembro, 2007 - 12h43 GMT (10h43 Brasília)
 
Envie por e-mail Versão para impressão
'Pílula do exercício' pode ser arma contra depressão, diz estudo
 
mulher fazendo cooper
Fazer exercícios ajuda no combate à depressão
Uma pesquisa realizada por cientistas americanos sugere que a sensação de felicidade resultante da prática de exercícios físicos poderá, no futuro, ser obtida a partir de um comprimido.

Segundo os especialistas da Universidade de Yale, o medicamento poderá ser mais uma arma na luta contra a depressão.

Para os pesquisadores, a ligação entre exercícios físicos e a melhora do estado emocional já é amplamente conhecida, mas a razão por trás disso ainda não havia sido bem explicada.

Durante testes de laboratório feitos com ratos, os cientistas mostraram por que fazer exercícios regularmente pode ajudar pessoas que sofrem de depressão.

"Mais eficiente"

No estudo, publicado na revista científica Nature Medicine, os especialistas se concentraram numa área do cérebro chamada hipocampo - que responde pelo aprendizado, memória e emoções - e normalmente é o alvo dos antidepressivos.

Eles desenvolveram um teste para identificar quais genes nesta região são mais ativados durante a prática de exercícios e destacaram um deles, nomeado de gene VGF.

Ao ser ativado, o VGF produziu uma substância química que funcionou de forma similar a um antidepressivo.

“Ao administrar o VGF, percebemos que ele funciona como um antipdepressivo poderoso e ao inibi-lo, interrompemos ao mesmo tempo os efeitos provocados pelos exercícios induzindo comportamento depressivo nos ratos”, disse Ronald Duman, professor de psiquiatria da Universidade de Yale e líder do estudo.

Os pesquisadores acreditam que o desenvolvimento de um medicamento que teria como base a substância produzida pelo gene poderá ser até “mais eficiente” do que os antidepressivos existentes no mercado.

"Este medicamento poderá ser feito com uma susbtância que já faz parte do corpo humano, o que pode aumentar sua eficácia", afirmou Duman.

 
 
Coração doenteSaúde
Maioria de britânicos prefere morrer a se exercitar
 
 
Paciente com problemas mentais em KarachiAlerta
Doenças mentais 'levam 650 mil ao suicídio por ano'.
 
 
NOTÍCIAS RELACIONADAS
ÚLTIMAS NOTÍCIAS
 
 
Envie por e-mail Versão para impressão
 
Tempo | Sobre a BBC | Expediente | Newsletter
 
BBC Copyright Logo ^^ Início da página
 
  Primeira Página | Ciência & Saúde | Cultura & Entretenimento | Vídeo & Áudio | Fotos | Especial | Interatividade | Aprenda inglês
 
  BBC News >> | BBC Sport >> | BBC Weather >> | BBC World Service >> | BBC Languages >>
 
  Ajuda | Fale com a gente | Notícias em 32 línguas | Privacidade