'News of the World' é acusado de grampear celular de mãe de garota morta

Em mais um capítulo do escândalo envolvendo o tabloide News of the World, a mãe de uma menina britânica sequestrada e assassinada foi informada pela polícia que seu celular pode ter sido grampeado por um investigador ligado ao jornal.

Sara Payne, cuja filha de 8 anos foi morta em 2000 por um pedófilo, disse estar "devastada" com a notícia. Após a tragédia, ela liderou uma campanha pela criação de uma lei que dava aos pais o direito de saber se um condenado por pedofilia morava em seu bairro.

Segundo reportagem do jornal Guardian, Payne recebeu um celular de Rebekah Brooks, ex-editora do News of the World, "como um presente para ajudá-la a manter contato com seus apoiadores". Não está claro se esse é o celular sob suspeita de grampo.

O News International, grupo que publicava o News of the World, disse "levar o assunto a sério" e estar "preocupado" com as alegações.

O jornal, que foi fechado após o escândalo dos grampos, já havia sido acusado de acessar a caixa-postal do celular da adolescente britânica Milly Dowler, desaparecida em 2000.

A manipulação das mensagens, em busca de furos jornalísticos, fez a polícia e a família da garota acreditarem que ela ainda estivesse viva, prejudicando as investigações.