Tribunal da Tunísia condena presidente deposto, filha e genro à revelia

O presidente deposto da Tunísia Zine al-Abidine Ben Ali, sua filha e seu genro foram condenados à revelia nesta sexta-feira por acusações de corrupção, e ordenados a pagar coletivamente cerca de R$ 156 milhões em indenizações.

Esta é a terceira condenação de Ben Ali por um tribunal da Tunísia. Ben Ali fugiu da Tunísia para a Arábia Saudita em janeiro, após semanas de protestos em seu país - a primeira das revoltas da chamada Primavera Árabe.

A Arábia Saudita não extraditou Ben Ali apesar de pedidos do novo governo interino da Tunísia.

O presidente deposto é acusado de usar seu poder para comprar propriedades para sua família a preços abaixo do mercado na capital, Túnis.

Ele e seu genro, o empresário Sakher el Materi, foram condenados a 16 anos de prisão.

Sua filha, Nesrine, casada com El Materi, foi condenada a oito anos.