Obama assina lei que aumenta teto da dívida dos EUA

Atualizado em  2 de agosto, 2011 - 18:28 (Brasília) 21:28 GMT

O presidente dos Estados Unidos, Barack Obama, assinou nesta terça-feira a lei que aumenta o teto da dívida do país, pondo fim a um impasse que poderia resultar em um calote inédito por parte do governo americano.

Obama assinou a lei logo após sua aprovação no Senado e um dia após a votação na Câmara. O impasse em torno do acordo se arrastou por semanas.

A medida aprovada prevê cortes estimados em cerca de US$ 2 trilhões ao longo de dez anos, uma quantia equivalente ao PIB brasileiro.

Além disso, foi aprovada uma elevação no teto do endividamento em montante semelhante aos cortes (a ser somado ao teto atual, de US$ 14,3 trilhões), de forma escalonada e sob a tutela do Congresso.

Uma comissão bipartidária vai ficar encarregada de determinar as áreas que deverão sofrer cortes de gastos.

Obama e seu partido, o Democrata, tiveram de fazer grandes concessões para obter a aprovação do acordo por parte da oposição republicana. Uma delas é a manutenção de isenção de impostos às parcelas mais ricas da população.

BBC © 2014 A BBC não se responsabiliza pelo conteúdo de sites externos.

Esta página é melhor visualizada em um navegador atualizado e que permita o uso de linguagens de estilo (CSS). Com seu navegador atual, embora você seja capaz de ver o conteúdo da página, não poderá enxergar todos os recursos que ela apresenta. Sugerimos que você instale um navegados mais atualizado, compatível com a tecnologia.