Presidente da Síria diz que não vai 'ceder a terroristas'

O presidente da Síria, Bashar al-Assad, disse nesta terça-feira que não vai "ceder" a quem chamou de "terroristas", referindo-se aos opositores que há três meses vão às ruas do país pedir reformas democráticas.

Assad fez a declaração após seis horas de conversações com o ministro das Relações Exteriores da Turquia, Ahmet Davutoglu, que havia pedido ao presidente sírio o fim repressão militar contra manifestantes civis.

Davutoglu disse que os métodos utilizados pelas forças sírias são inaceitáveis.

Nesta terça-feira, tanques sírios ocuparam a cidade de Binnish, perto da fronteira turca, segundo ativistas.

No domingo, a Arábia Saudita retirou seu embaixador do país. No dia seguinte, o Bahrein e o Kuwait também chamaram de volta seus diplomatas, em protesto contra a escalada da violência.