Ativistas denunciam mais de 20 mortos na Síria

Mais de 20 pessoas morreram na Síria nesta quarta-feira, segundo denúncia de ativistas de direitos humanos. A maior parte delas na cidade de Homs.

Segundo os ativistas, as forças do regime de Bashar al-Assad lançaram uma grande operação em Homs, prendendo pessoas em suas casas e disparando contra qualquer um que tentasse escapar.

Os relatórios dizem que tanques participaram do bombardeio à cidade. Mais cedo, funcionários do governo escoltaram jornalistas para a vizinha cidade de Hama.

Os repórteres foram levados ao local para presenciar a retirada de unidades do exército sírio, depois de uma operação que durou mais de uma semana e provocou a morte de dezenas de ativistas da oposição.

Nesta quarta-feira, Assad recebeu em Damasco diplomatas do Brasil, da Índia e da África do Sul, que pediram o “fim imediato da violência”. O presidente sírio reconheceu excessos no “estágio inicial” da repressão aos protestos, que pedem reformas democráticas no país.