Polícia Federal vai investigar a morte da juíza fluminense

A Polícia Federal vai investigar a morte da juíza Patrícia Acioli, assassinada na madrugada desta sexta-feira em Niterói, na região metropolitana do Rio.

A decisão foi tomada após determinação do ministro da Justiça, José Eduardo Cardozo, feita a pedido do presidente do Supremo Tribunal Federal, Cezar Peluso.

De acordo com o ministério, a investigação será conduzida pela Superintendência da Polícia Federal do Rio de Janeiro. A juíza foi assassinada na frente de sua casa, com 16 tiros.

Segundo a Associação dos Juízes Federais do Brasil (Ajufe), seu nome estava em uma lista de pessoas marcadas para morrer, encontrada com um suspeito de tráfico de drogas.

Ela era conhecida como uma juíza linha-dura, que dava a pena máxima a criminosos, inclusive para policiais ligados a milícias e a grupos de extermínio.

Em nota, a Ajufe exigiu apuração rigorosa do assassinato: “Muitos juízes deixam a competência criminal com medo de serem mortos, pois o Estado não lhe dá a segurança necessária. Isso faz com que a sociedade fique a mercê, na mira desses meliantes.”