Tribunal julga membros do Hezbollah por assassinato de ex-premiê libanês

Um tribunal apoiado pela ONU anunciou nesta quarta-feira o indiciamento de quatro suspeitos com ligação com o grupo libanês Hezbollah pelo assassinato do ex-premiê do país Rafik Hariri, afirmando possuir evidências suficientes para processá-los.

As evidências foram coletadas por meio de escutas telefônicas.

A Justiça libanesa não conseguir prender nenhum dos quatro e os julgamentos vão ocorrer à revelia.

O Hezbollah nega envolvimento com a morte, ocorrida em 2005, de Hariri e disse que não entregaria os suspeitos para a Justiça.