Rebeldes permitem saída de Khadafi da Líbia se ele renunciar ao poder

Pela primeira vez, os rebeldes líbios concordaram com a saída do líder Muamar Khadafi do país, sem capturá-lo ou matá-lo. Mas com uma condição: ele tem de renunciar à sua liderança.

A declaração foi feita por um dos líderes do Conselho Nacional de Transição (CNT), Mahmoud Jibril, após encontro com o presidente francês Nicolas Sarkozy, em Paris.

Um dia após a tomada do quartel-general do líder líbio em Trípoli pelas forças rebeldes, Jibril afirmou que o paradeiro de Khadafi é desconhecido.

Em Paris, Sarkozy convocou uma reunião de países “amigos” da Líbia, para discutir a reconstrução do país. O Brasil, que ainda não reconheceu o CNT, foi convidado.

Enquanto isso, as autoridades rebeldes já planejam a transferência do CNT de Benghazi para Trípoli.