Kosovar que matou soldados dos EUA culpa propaganda extremista na internet

Um kosovar de etnia albanesa disse nesta quarta-feira que estava influenciado por propaganda radical islâmica quando matou dois soldados americanos e feriu outros dois no aeroporto de Frankfurt, na Alemanha, em março deste ano.

Arid Uka, de 21 anos, matou com um tiro na nuca um militar dos EUA que embarcava em um ônibus para transportar os soldados. Depois, entrou no veículo sob os gritos de "Deus é grande" e executou também o motorista.

Em um depoimento em que parecia emocionado, Arid Uka confessou ter atirado nos homens à queima-roupa usando uma pistola 9 mm.

Ele alegou que agiu sob influência de vídeos radicais islâmicos que assistiu na internet e disse que estava arrependido do crime. O incidente acendeu temores de que a Alemanha pudesse ser palco de novos ataques extremistas.

Além dos assassinatos, Uka, filho de uma família de imigrantes kosovares que vivem na Alemanha, responde por três tentativas de assassinato, incluindo de duas pessoas que ficaram seriamente feridas no incidente.