China condena à morte ativistas que fizeram protesto étnico no oeste do país

A China sentenciou à morte quatro membros da minoria étnica uighur, do oeste do país, por envolvimento em confrontos registrados na província de Xinjiang em julho.

Os homens foram condenados por assassinato, terrorismo e ato incendiário. Outros dois uighures foram sentenciados a 19 anos de prisão.

Ativistas alegam que durante o processo os réus foram torturados – agredidos e mantidos sem dormir – e não tiveram direito a um julgamento justo.

A China acusa os militantes da minoria de realizar uma campanha violenta por um estado independente em Xinjiang, com o apoio de grupos islâmicos estrangeiros.