Apesar da repressão, oposição iemenita diz que segue com protestos

Líderes oposicionistas no Iêmen disseram que vão continuar com protestos pelo país contra o presidente Ali Abdullah Saleh, apesar da violência do domingo que matou pelo menos 26 pessoas e feriu centenas.

Os confrontos entre forças de segurança e oposicionistas seguiram nesta segunda-feira na capital, Sanaa, com a morte de pelo menos um ativista.

Correspondentes dizem que as forças de segurança vêm usando metralhadoras e outras armas pesadas. O ministro da Defesa iemita responsabilizou os oposicionistas pela violência do domingo.

Saleh vem recebendo tratamento médico na vizinha Arábia Saudita após ser atingido por uma bomba em junho.