Ahmadinejad contesta Holocausto e delegados se retiram de assembleia da ONU

O presidente do Irã, Mahmoud Ahmadinejad, gerou polêmica com seu discurso nesta quinta-feira na Assembleia Geral da ONU ao fazer referências ao Holocausto e aos ataques de 11 de Setembro. Ahmadinejad atacou os "poderes arrogantes" do Ocidente contra as vozes que contestam a existência do Holocausto e temas referentes aos ataques de 11 de Setembro, em 2001.

O líder iraniano disse que o Holocausto tem sido usado por sessenta anos para justificar o movimento sionista, do povo judeu. O discurso fez delegados de 36 países se retirarem da assembleia. O protesto foi liderado pelas delegações dos Estados Unidos e da França.