Líder católico faz críticas à moral da elite política da Itália

O chefe da conferência dos bispos da Itália lançou nesta segunda-feira ataques à moral da elite política do país, em uma aparente condenação dos escândalos sexuais e de corrupção que envolvem o primeiro-ministro Silvio Berlusconi.

Sem citar nomes, o cardeal Angelo Bagnasco disse a outros bispos italianos que estava "mortificado" por testemunhas um comportamento que, segundo ele, não só vai contra o decoro público, mas também era intrinsecamente "triste e raso".

O cardeal afirmou ainda que a Itália precisa "purificar seu ar".

Berlusconi é réu em pelo menos quatro processos em curso na Itália, incluindo casos de fraude, evasão fiscal, corrupção e de relação sexual com uma menor de idade - uma dançarina de origem marroquina. O premiê rejeita todas as acusações.

Na última quinta-feira, antes de viagem à Alemanha natal, o papa Bento 16 enviou ao presidente italiano, Giorgio Napolitano, um telegrama pedindo por uma "renovação ética" no país.