Israel aceita diálogo direto com palestinos, mas rejeita 'condições prévias'

O governo de Israel divulgou neste domingo uma nota em que acolhe a sugestão de Estados Unidos, União Europeia, Rússia e ONU de negociar um acordo de paz diretamente com os palestinos.

A nota divulgada pelo gabinete do primeiro-ministro, Binyamin Netanyahu, "saúda o apelo do Quarteto por negociações diretas", mas ressalta que o diálogo deve ocorrer "sem condições prévias".

Tais condições são um ponto de discórdia entre Israel e a Autoridade Palestina, que reivindica o congelamento na construção de assentamentos judeus na Cisjordânia e a aceitação das fronteiras de 1967 como base para um acordo.

A nota de Israel é a primeira manifestação formal desde que o Quarteto para o Oriente Médio pediu a retomada das negociações, no dia 23 de setembro, após a reivindicação de reconhecimento de um Estado Palestino na ONU.

Em entrevista à BBC dias após o pedido, o premiê Binyamin Netanyahu, disse que concordava em negociar a paz diretamente com os palestinos, desde que sem a imposição de condições.