Pobreza na América Latina é a mais baixa em 20 anos, diz Cepal

O relatório anual da Comissão Econômica para a América Latina e o Caribe (CEPAL), divulgado nesta terça-feira, mostra que a pobreza diminuiu na América Latina em 2011 aos níveis mais baixos em duas décadas. A recuperação no mercado de trabalho é a principal razão por trás do declínio. A CEPAL estima que 2011 irá fechar com três milhões a menos de pobres na região, em comparação com 2010. No total, são 174 milhões de latino-americanos pobres.

Apesar dos números positivos em relação à pobreza de uma maneira geral, a Cepal alerta os níveis de pobreza extrema aumentara. O número dos que vivem na indigência ou na pobreza extrema aumentou de 70 para 73 milhões.

Peru, Equador, Argentina, Uruguai e Colômbia tiveram os resultados mais significativos no que se refere à redução da pobreza. Os dois únicos países que apresentaram aumento foram Honduras e México.