Merkel defende disciplina fiscal na UE e diz que crise durará muitos anos

A chanceler alemã, Angela Merkel, declarou ao Parlamento do seu país que a crise na zona do euro vai demorar anos para ser resolvida.

Merkel, que está sob pressão para agir mais diretamente para conter a crise, voltou a rejeitar a proposta de que o Banco Central Europeu emita títulos em nome do conjunto de países que utilizam a moeda comum.

Ela defendeu uma "nova união fiscal" no continente, com mais disciplina orçamentária.

Na segunda-feira, a chanceler e o presidente francês, Nicolas Sarkozy, devem anunciar propostas que serão apresentadas no fim da semana a outros líderes europeus para impor mais disciplina ao bloco.

Qualquer iniciativa que envolva mudanças no tratado da União Europeia terá consequências também para os países que não usam o euro.

Para discutir o assunto, o premiê britânico, David Cameron, vai se encontrar nesta sexta-feira em Paris com o presidente francês.