Suíça e Canadá congelam bens de líderes sírios

As autoridades suíças dizem ter congelado US$ 53 milhões (R$ 98 milhões) de ativos ligados ao presidente da Síria, Bashar al-Assad e a dezenas de altos oficiais do país.

O comandante militar Mahir Assad e o ministro do Interior Mohammed Ibrahim al-Sha'ar os oficiais cujos bens foram congelados.

Desde o começo dos protestos nos países árabes no início deste ano, a Suíça reteve bens pertencentes aos líderes depostos da Tunísia, do Egito e da Líbia.

O ministro de Relações Exteriores do Canadá, John Baird, também anunciou nesta sexta-feira o congelamento de bens da liderança síria e restrições mais duras ao comércio com o país.

Baird disse que Assad está agindo com detestável indiferença pela humanidade ao reprimir o movimento pró-democracia da Síria.