Funcionários da Médicos Sem Fronteiras são mortos a tiros na Somália

A organização não governamental Médicos Sem Fronteiras confirmou que dois de seus funcionários, um de nacionalidade belga e o outro indonésio, foram assassinados a tiros na Somália.

O crime foi cometido por um homem somali que trabalhava na sede da Médicos Sem Fronteiras na capital do pais, Mogadishu.

Organizações não governamentais têm sido alvo de ataques na Somália por parte de militantes islâmicos fundamentalistas ligados ao grupo al Shabab, que defende uma interpretação literal do livro sagrado dos muçulmanos, O Corão.

Mas ainda não se sabe se o incidente tem conexão com o extremismo religioso.