Kirchner será operada para retirar câncer

A presidente da Argentina, Cristina Kirchner, será submetida nesta quarta-feira a uma cirurgia para retirar um tumor na tireoide, depois de passar o Ano Novo com a família na Patagônia e de ter sua últimas reuniões com ministros antes de sair de licença médica.

A presidente deve permanecer afastada do cargo até pelo menos 24 de janeiro. Até lá, o vice-presidente argentino, Amado Boudou, assumirá suas funções.

Segundo os médicos, os prognósticos são bons, já que o câncer não se espalhou.

Cristina Kirchner, que faz 59 anos no mês que vem, foi reeleita em outubro para um segundo mandato. O seu câncer é o quinto caso envolvendo presidentes contemporâneos da América Latina - todos de esquerda.

No Brasil, tanto a presidente Dilma Rousseff como, mais recentemente, o ex-presidente Lula foram diagnosticados com a doença. O mesmo ocorreu com Hugo Chávez, da Venezuela, e Fernando Lugo, do Paraguai.