Presidente sírio acusa 'conspiração estrangeira' por protestos

Em seu primeiro pronunciamento público em meses, o presidente da Síria, Bashar al-Assad, afirmou nesta terça-feira que há uma "conspiração estrangeira" para tentar desestabilizar seu país.

"Grupos regionais e internacionais vêm tentando desestabilizar o país", afirmou ele.

A ONU afirmou no mês passado que mais de 5.000 civis já morreram desde que começaram os protestos contra o governo, em março do ano passado.

A repressão do governo aos protestos populares levou a comunidade internacional a aprovar sanções contra a Síria.

Um grupo de 165 observadores da Liga Árabe está no país desde dezembro para monitorar a implementação de um plano de paz que pede o fim de toda a violência, a remoção de armamentos pesados das cidades e a libertação de todos os prisioneiros políticos.

Grupos de oposição acusam a missão da Liga Árabe de servir para acobertar a repressão aos protestos, que continua sob a presença dos observadores.