Arábia Saudita deixa missão da Liga Árabe para a Síria

A Arábia Saudita anunciou neste domingo que está se desligando da missão da Liga Árabe para Síria e criticou o governo sírio de não parar a repressão violenta contra os manifestantes pró-democracia.

O ministro das Relações Exteriores saudita, Saud al-faisal, pediu que a comunidade internacional exerça maior pressão sobre o governo de Damasco.

Al-Faisal disse que a decisão foi tomada porque a Síria não seguiu o plano árabe com o qual havia se comprometido antes do envio dos monitores.

A ONU calcula que mais de 5 mil pessoas morreram desde o início dos protestos contra o presidente sírio, Bashar al-Assad, em março. A Síria diz que cerca de 2 mil integrantes de suas forças de segurança foram mortos.