Turquia diz que lei francesa sobre genocídio armênio é 'racista'

O primeiro-ministro da Turquia, Recep Tayyip Erdogan, disse que a lei francesa sobre o genocídio armênio é "racista" e enfraquece os valores europeus.

A lei, aprovada pelo Senado francês na última segunda-feira, torna crime negar que os turcos otomanos cometeram genocídio contra os armênios durante a Primeira Guerra Mundial.

A Turquia nega que um genocídio deliberado aconteceu e ameaçou sanções permanentes à França.

No entanto, Erdogam sugeriu que o país pode esperar para ver se o presidente Nicolas Sarkozy aprovará a lei antes de decidir sua resposta.

A Armênia reagiu à notícia dizendo que a votação francesa entrará nos anais da história pela proteção aos direitos humanos.