Britânicos admitem plano para atentado à Bolsa de Londres

Quatro homens que se disseram inspirados pela rede Al-Qaeda admitiram nesta quarta-feira em um julgamento em Londres terem participado de um plano para detonar uma bomba na Bolsa de Valores da capital britânica.

Os quatro, cidadãos britânicos de origem paquistanesa e bengalesa, foram presos em dezembro de 2010 antes de promover o ataque.

O plano previa plantar bombas de fabricação caseira nos banheiros do prédio.

O objetivo, segundo eles, era promover o terror entre a população e prejudicar a economia britânica.

Cinco outros homens admitiram participação em planos para ataques terroristas, incluindo pesquisas sobre possíveis alvos, como o Big Ben e a Abadia de Westminster.

Os acusados se disseram inspirados pelas declarações do extremista Anwar Al-Awlaki, morto no Iêmen em setembro.