Banco britânico Lloyds pega de volta bônus dados a altos executivos

O banco britânico Lloyds anunciou que vai pegar de volta mais de Us$ 3 milhões em bônus pagos a dez ex-executivos.

É a primeira vez, desde o início da crise bancária na Grã-Bretanha, que executivos são penalizados financeiramente no país em consequência de prejuízos sofridos pelo banco que os empregou.

Nesse caso, os prejuízos são consequência de práticas irregulares por parte do Lloyds (também verificadas em outros bancos britânicos), que vendeu seguros inapropriados a pessoas que tomaram empréstimos do banco para comprar a casa própria.

Segundo analistas da BBC, a medida tem valor simbólico, já que os US$ 3 milhões em bônus que o banco está pegando de volta são nada em comparação com os mais de US$ 5 bilhões gastos pelo banco em indenizações a clientes.

Ainda assim, autoridades que regulam instituições financeiras na Grã-Bretanha esperam que o precedente tenha um efeito detentor, evitando a repetição dos excessos e práticas ruins ocorridos nos anos que antecederam a crise.

O contribuinte britânico é dono de 41% das ações do Lloyds.