EUA não descartam medidas adicionais contra a Síria

Os Estados Unidos alertam que não descartaram tomar medidas adicionais contra a Síria, caso o presidente Assad não interrompa a escalada de violência. A Casa Branca Afirma não querer contribuir para a militarização do país, embora diga que pode agir no futuro.

Um vídeo que circula na internet sugere que oponentes do presidente Assad foram vitimas de execução sumária na província de Idlib, no Nordeste do país. As imagens mostram corpos enfileirados e com as mãos amarradas. Em outro vídeo, também em Idlib, 500 soldados sírios aparentemente anunciam a deserção e que passariam a integrar as forças rebeldes. A origem deste vídeos não pode ser confirmada.

O governo culpa gangues armadas pela escalada de violência. Informações dão conta de que os pesados bombardeios foram retomados na cidade de Homs, após ataques na terça-feira terem matado uma centena de pessoas, segundo ativistas.