Senado americano rejeita emenda republicana sobre métodos contraceptivos

O Senado americano rejeitou o desafio do partido republicano à política do presidente Obama de forças empregadores e seguradoras de saúde a cobrir obrigatoriamente os métodos contraceptivos.

Uma emenda que permitia que as empregadoras escolhessem não fornecer nenhuma cobertura de saúde que eles acreditem que viola suas consciências ou crenças religiosas foi derrotada nesta quinta-feira por 51 votos contra 48.

Os republicanos dizem que continuarão a lutar contra a medida que, segundo eles, ameaça a garantia constitucional de liberdade religiosa.

Correspondentes dizem que o debate sobre métodos contraceptivos deu mais espaço às questões sociais em um ano eleitoral até então dominado pela economia.