Paquistão proíbe atividades do maior grupo islâmico do país

O governo paquistanês emitiu uma ordem nesta sexta-feira proibindo as atividades do grupo extremista islâmico Ahle Sunnah Wal Jamaat pelo que considera ser seu envolvimento em atos terroristas.

Os militantes foram condenados pela morte de centenas de membros da comunidade xiita e outras minorias em todo o país. Ataques a instalações de segurança e embaixadas também estão na lista de condenações do grupo.

Em entrevista à BBC, o líder dos extremistas, Maulana Ludhiavi, disse que sua organização deve desafiar a ordem da Justiça, alertando que o veto tornaria difícil controlar os ativistas do grupo.

Esta é a segunda vez que o Ahle Sunnah Wal Jamaat é banido no país. Em 2002, o então presidente, general Pervez Musharraf, cedeu a pressões dos Estados Unidos e decidiu vetar as atividades da organização.