Soldado acusado de massacre no Afeganistão agiu sozinho, dizem autoridades dos EUA

Autoridades dos Estados Unidos afirmaram na tarde desta segunda-feira que o militar acusado de ter matado 16 civis afegãos no domingo agiu sozinho.

Em um pronunciamento à imprensa, o Pentágono afirmou que as mortes ocorridas nas proximidades de uma base em Kandahar foram 'trágicas', mas insistiu que foi um incidente isolado.

O soldado acusado das mortes não foi identificado, mas teria cerca de 30 anos e seria pai de três filhos.

Ainda não foram divulgados mais detalhes sobre o incidente, mas o que se sabe é que o soldado americano deixou a base em Kandahar na madrugada de domingo e atacou famílias afegãs em casas de vilarejos próximos. Aparentemente ele atirou contra estas famílias e matou 16 pessoas, entre elas, nove crianças e três mulheres.

Segundo o Pentágono, o soldado se entregou para as autoridades militares depois de retornar à base.

O incidente aumentou ainda mais a tensão entre os afegãos e as forças estrangeiras no país.

O Talebã prometeu vingar as mortes e disse que os assassinatos foram cometidos por "selvagens americanos". As tropas dos Estados Unidos no país foram colocadas em alerta.