Unasul rejeita presença militar britânica nas Malvinas

Os doze países membros da Unasul (grupo que reúne as nações da América do Sul) emitiram uma declaração conjunta rejeitando a presença militar britânica nas ilhas Malvinas, chamada pelos ingleses de Falklands.

Os ministros das Relações Exteriores da Unasul também pediram uma solução negociada para o que chamaram de situação colonial anacrônica nas Américas, em referência ao controle britânico do arquipélago, reclamado pela Argentina.

No início desta semana, o Reino Unido condenou a ameaça da Argentina de processar empresas envolvidas na exploração de petróleo ao redor das ilhas.

O ministro das Relações Exteriores argentino, Héctor Timmerman, disse que seu país irá defender os recursos do Atlântico Sul, que pertencem a todos os argentinos.

A tensão em torno das ilhas aumentou à medida à medida que se aproxima o 30º aniversário da Guerra das Malvinas, no próximo mês.