ONU cobra implementação imediata de plano de paz na Síria

O secretário-geral das Nações Unidas, Ban Ki-moon, cobrou do presidente sírio, Bashar al-Assad, a implementação imediata do plano de paz acordado com a ONU e a Liga Árabe nesta terça-feira.

O plano de seis etapas proposto pelo ex-chefe da ONU Kofi Annan pede o fim dos confrontos, melhora no acesso de equipes de ajuda humanitária e a retirada das tropas de áreas civis em diferentes cidades do país.

O chamado de Ban para o compromisso aceito pelo regime sírio ainda na terça-feira chega pouco após ativistas e grupos de oposição terem alertado as Nações Unidas sobre novos ataques das forças de segurança do regime na província de Hama nesta quarta-feira.

Mais cedo, a alta comissária da ONU de direitos humanos, Navi Pillay, disse em entrevista à BBC que as forças sírias estão deliberadamente e sistematicamente alvejando e torturando crianças.

"Esse é um dos desdobramentos mais chocantes da reação do governo sírio aos protestos (antigoverno)", disse Pillay. "Eles (forças de segurança) estão indo atrás das crianças. Temos provas, obtidas pela comissão de investigação, após falar com pais e vítimas, de que crianças levaram tiros no joelho, foram presas em condições desumanas, sem acesso a medicamentos, sendo alvo de brutalidade. É horrível".

A estimativa da ONU é de que cerca de 9 mil pessoas tenham morrido na Síria em decorrência da repressão aos protestos antigoverno, em curso há um ano.