Prisioneira palestina em greve de fome é libertada por Israel

Uma mulher palestina que fazia greve de fome há mais de 40 dias foi libertada pelas autoridades israelenses e enviada a Gaza.

Hana Shalabi, que é considerada uma ameaça à segurança por Israel, estava presa sem acusações desde meados de fevereiro.

Ela disse que concordaria em pôr fim a sua greve de fome em troca de ser transferida para Gaza por três anos, depois dos quais ela retornará para sua casa, na cidade de Jenin, na Cisjordânia.

Ao chegar em Gaza, Shalabi foi recebida por dezenas de partidários do Hamas e do grupo Jihad Islâmica antes de ser levada ao hospital para exames médicos.