UE diz considerar 'todas as opções possíveis' de sanções à Argentina

A União Europeia diz estar considerando todas as opções possíveis contra a Argentina por causa da decisão de nacionalizar a empresa petrolífera espanhola Repsol-YPF.

A decisão da presidente argentina Cristina Kirchner acontece após meses de tensões com a Grã-Bretanha sobre a exploração de petróleo nas ilhas Malvinas (Falklands, para os ingleses).

A diretora de políticas exteriores da União Europeia, Catherine Ashton, disse que a expropriação da YPF manda um sinal bastante negativo, e que a Espanha tem o total apoio do bloco.

O primeiro-ministro espanhol, Mariano Rajoy, disse que não há justificativa para a decisão, que é "ruim para todos os envolvidos".

A presidente Kirchner rejeitou a ameaça de represálias, dizendo que agiu nos interesses do povo argentino.