Conselho de Segurança da ONU discute golpe em Guiné-Bissau

Uma declaração presidencial condenando o golpe na Guiné-Bissau começou a ser elaborada na tarde desta quinta-feira no Conselho de Segurança da ONU.

A situação do país começou a ser analisada após diplomatas do governo deposto atualizarem os países-membros do órgão sobre a atual situação do país.

O Brasil e a CPLP (Comunidade dos Países de Língua Portuguesa) defendem que o Conselho de Segurança pressione os militares golpistas para forçar o restabelecimento da democracia sem o envio de uma missão de imposição de paz à Guiné-Bissau.

Em paralelo, a comunidade internacional deve criar um fundo de US$ 45 milhões (R$ 84 milhões para pagar pensões aos militares que concordarem em se desmobilizar.

Segundo diplomatas ouvidos pela BBC Brasil, a declaração presidencial deve ser votada ainda nesta sexta-feira.