EUA faz primeira prisão em caso de vazamento de óleo no Golfo do México

O Departamento de Justiça americano afirma ter prendido um ex-engenheiro de petróleo da BP, suspeito de ter destruído evidências sobre o vazamento de óleo no Golfo do México há dois anos.

Kurt Mix, do Texas, responderá por duas acusações de obstrução da justiça.

Ele é acusado de deletar centenas de mensagens de texto para seu supervisor na empresa sobre como os esforços para selar o poço danificado não estavam funcionando.

Os promotores dizem que a troca de mensagens mostrava que a empresa petrolífera sabia durante uma semana que o incidente era três vezes maior do que as estimativas oficiais divulgadas.

Em um comunicado, a BP disse que fez um "esforço substancial" para preservar as evidências no caso.

O vazamento foi o maior da história americana. Milhões de barris de óleo foram derramados no oceano e 11 trabalhadores de plataformas foram mortos.