Junta Militar do Egito promete alterações no gabinete

A Irmandade Muçulmana, partido de maioria no Parlamento egípcio, disse neste domingo que a Junta Militar que atualmente governa o país prometeu uma série de alterações no gabinete.

De acordo com a agência estatal de notícias do país, políticos islâmicos seriam admitidos para compor a nova administração.

A medida chega pouco após o Parlamento ter suspendido seus trabalhos por uma semana em protesto à relutância dos militares em convidar membros da Irmandade Muçulmana para integrarem o corpo de ministros.

Após a revolução que derrubou o ex-líder Hosni Mubarak no ano passado, o Egito aguarda eleições presidenciais e a promulgação de uma nova Constituição. Os militares governam o país de forma interina.

Segundo analistas da BBC, a Junta Militar tenta evitar que os membros do partido islâmico ganhem poder no desenhar da nova Carta Magna do país.