Dissidente chinês diz que deixou embaixada americana após 'ameaças'

O dissidente chinês Chen Guangcheng disse nesta quarta-feira que deixou seu refúgio na embaixada americana em Pequim depois que autoridades chinesas ameaçaram de morte membros de sua família, informa a agência Associated Press.

Chen disse à agência que saiu do abrigo na embaixada ao receber garantias de que poderia ficar em liberdade na China e estudar, mas ele agregou que ainda teme por sua segurança.

A entrevista com Chen foi feita no hospital para onde ele foi levado em um acordo que, segundo o governo dos EUA, "reflete suas escolhas e nossos valores".

O paradeiro de Chen virou tópico de debate ao mesmo tempo em que a secretária de Estado dos EUA, Hillary Clinton, está em Pequim para conversas bilaterais com o governo chinês.