Secretário-geral da ONU condena atentado a grupo de monitores na Síria

O secretário-geral das Nações Unidas, Ban Ki-moon, condenou um atentado a bomba ocorrido nesta terça-feira contra um comboio que levava monitores da entidade na cidade de Deraa, no sul da Síria.

Ele disse que incidentes do tipo poderiam ameaçar o futuro da missão da ONU no país.

Ativistas da oposição acusaram o governo de estar por trás do atentado para deter a missão de paz. Já o regime do líder Bashar al-Assad responsabilizou os rebeldes pelo ataque.

Pelo menos seis militares sírios ficaram feridos durante o atentado. O chefe da missão de observadores da ONU, major Robert Mood, da Noruega, estava na comitiva, mas saiu ileso.

Um correspondente da BBC que esteve na cidade síria de Homs afirmou que há tiroteios constantes na região, apesar do cessar-fogo entre o governo e as forças de oposição.