Mercados europeus abrem em queda em meio a incertezas na Grécia

As Bolsas da Europa abriram os pregões em queda expressiva na manhã desta quarta-feira, um dia após a Grécia ter anunciado eleições antecipadas, pela incapacidade de formar um novo governo, e o socialista François Hollande ter sido empossado como novo presidente da França.

Na Grã-Bretanha o principal índice da Bolsa de Londres registrou queda de mais de 1%, enquanto na Itália e na Espanha os mercados despencaram quase 2%.

As taxas dos títulos italianos e espanhóis foram elevadas, aumentando ainda mais a distância dos títulos alemães.

As dúvidas em torno da situação da Grécia, que mais de uma semana após eleições parlamentares não conseguiu formar uma coalizão de governo, são as principais causas das quedas, apontam analistas.

Não está claro se as forças políticas que ganharão mais poder no país serão a favor ou contra a manutenção das medidas de austeridade exigidas pelos credores gregos para que seja mantido o programa de ajuda financeira internacional.

Na Grécia, muitos passaram a retirar dinheiro de suas contas bancárias nesta quarta-feira sob temores de que a instabilidade aumente no país.

O presidente do banco central grego, George Provopoulos, disse que até o momento os correntistas já tinham sacado US$ 9 milhões de suas poupanças e investimentos, e que a situação pode piorar.