Irã demite diplomata suspeito de molestar meninas no Brasil

O governo do Irã afirmou nesta segunda-feira ter demitido o diplomata acusado de molestar quatro meninas, de idades entre 9 e 15 anos, na piscina de um clube piscina em Brasília.

O caso ocorreu em abril. O diplomata Hekmatollah Ghorbani chegou a ser detido e levado a uma delegacia sob acusação de estupro, mas foi libertado ao invocar sua imunidade diplomática.

Em seguida, Ghorbani retornou a Teerã. O governo iraniano tentou minimizar o episódio, que classificou como um mal entendido gerado por diferenças culturais.

Porém, o governo brasileiro pediu que o diplomata fosse punido com rigor. Os dois países mantêm boas relações diplomáticas.

Segundo testemunhas, ele teria tocado as partes íntimas das meninas.

Em um comunicado, a chancelaria iraniana afirmou que uma investigação interna determinou que o comportamento do suspeito é contrário a normas administrativas e à moralidade islâmica.