OCDE prevê crescimento de 3,2% para o PIB brasileiro em 2012

A Organização para Cooperação e Desenvolvimento Econômico (OCDE) informou nesta terça-feira que o Brasil deve crescer somente 3,2% neste ano, acima da estimativa do mercado (3,09%) e abaixo daquela prevista pelo governo brasileiro (4%).

Na semana passada, o Boletim Focus, uma previsão do mercado sobre os rumos da economia brasileira, divulgado pelo Banco Central, reviu novamente para baixo o crescimento do PIB em 2012 (de 3,2% para 3,09%).

Ao participar de uma audiência pública nesta terça-feira no Senado, o ministro da Fazenda, Guido Mantega, afirmou que o governo já trabalha com uma estimativa de crescimento de 4%, abaixo da previsão inicial de 4,5%.

Segundo um relatório da entidade, que analisou o andamento da economia em 32 países do mundo, a trajetória de crescimento fraco da economia brasileira parece ter chegado ao fim, com a atividade projetada para crescer rapidamente e gradualmente se estabilizar, graças ao consumo privado e ao investimento.

A OCDE alertou, entretanto, que o país precisará domar a pressão inflacionária que pode vir a aumentar em um cenário de mercado de trabalho limitado e recuperação do crédito.

Para a entidade, o governo brasileiro terá de empreender um esforço monetário para trazer a inflação de volta ao centro da meta (4,5%), além de, possivelmente, precisar recorrer a medidas macro-prudenciais para conter o crescimento do crédito.

No mesmo estudo, a OCDE informou que a economia mundial está ensaiando o início de uma retomada, mas advertiu para o risco de deterioração do cenário com a crise na Zona do Euro.

De acordo com a entidade, as economias emergentes continuarão a puxar para cima o crescimento do PIB global, com sinais de melhora nos Estados Unidos e no Japão.