China veta referências à índice da bolsa que coincide com data de massacre

A China bloqueou o acesso ao termo ''Índice Xangai Composto'' em alguns dos mais populares sites de microblogging do país.

A decisão se deu após o índice da bolsa de Xangai ter caído 64,89 pontos na segunda-feira.

Os números correspondem à data de 4 de junho de 1989, dia em que os protestos pró-democracia na Praça da Paz Celestial foram duramente reprimidos pelas autoridades do país.

Até hoje, 23 anos após a onda de protestos pró-democracia na China, há dissidentes envolvidos com os protesto que permancem presos.

O número oficial de pessoas mortas durante a repressão promovida pelas autoridades chinesas nunca foi divulgado, mas entidades de direitos humanos acreditam que até 2,5 mil pessoas tenham sido mortas.

A China proíbe referências ao massacre e também censurou outros termos que aludem aos protestos e à dura operação de repressão que se seguiu a eles.