Justiça do Egito diz que Parlamento deve ser dissolvido e pede novas eleições

A Corte Constitucional do Egito disse nesta quinta-feira que há irregularidades com relação a ao menos um terço de todos os congressistas selecionados na última eleição e que o Parlamento deveria ser dissolvido.

Analistas dizem que ainda há dúvidas sobre a interpretação da decisão entre os parlamentares. A dissolução implicaria em novas eleições.

Em outro desdobramento, a mesma corte determinou mais cedo que o candidato presidencial Ahmed Shafiq poderá participar do segundo turno da eleição, que ocorre nos dias 16 e 17 deste mês.

A candidatura de Shafiq vinha sendo questionada pois ele foi o último primeiro-ministro a servir no governo do líder deposto Hosni Mubarak

Com a decisão, Shafiq poderá concorrer com Mohamed Morsi, da Irmandade Muçulmana. O ex-primeiro-ministro é tido como o preferido do atual conselho militar que administra o país desde a deposição de Mubarak, em fevereiro de 2011.