Ex-presidente do Egito Hosni Mubarak é mantido vivo com ajuda de aparelhos

O ex-presidente do Egito Hosni Mubarak é mantido vivo em um hospital militar com a ajuda de aparelhos, informaram nesta quarta-feira fontes médicas, um dia após controversos relatos de que o ex-líder estaria morto.

Horas após negarem a morte cerebral de Mubarak, fontes militares e médicas disseram que ele teria sofrido uma série de ataques cardíacos e que depois de etr sido transferido da prisão para um hospital estaria sendo mantido com a ajuda de aparelhos.

Ainda na noite de terça-feira a agência de notícias estatal Mena havia divulgado a morte clínica do ex-governante, o que mais tarde foi negado por fontes médias e militares.

"Hosni Mubarak está clinicamente morto. Fontes médicas informaram que seu coração parou de bater e não respondeu à desfibrilação", informou a agência.

Horas antes do Mubarak sofreu uma parada cardíaca e foi reanimado de um acidente vascular cerebral (AVC) na ala médica da prisão de Tora, localizada no sul da capital Cairo.

O ex-líder havia sido encaminhado para a penitenciária logo após receber a sentença de prisão perpétua pela Suprema Corte do Egito no último dia 2 de junho. Na ocasião, seu estado de saúde já estava deteriorado.

Apesar dos apelos de familiares, a Justiça do país não permitiu que o ex-presidente fosse tratado em um hospital particular.

Mubarak foi condenado pela morte de manifestantes durante a revolução que culminou em sua renúncia no dia 11 de fevereiro do ano passado, após intensos protestos populares.